“Mas a graça foi dada a cada um de nós segundo a medida do dom de Cristo”. (Efésios 4:7)
orarsim

Porque orar se Deus já decretou todas as coisas?

TEMA: Oração

ASSUNTO: Porque orar se Deus já decretou todas as coisas?

TEXTO: Lucas 11:1-13

INTRODUÇÃO

Uma das grandes acusações contra aqueles que acreditam na soberania de Deus e nos seus decretos é que não se precisa orar a um Deus que já definiu tudo e que sua vontade já foi impetrada sobre todos desde a fundação do mundo. Devemos entender que embora a vontade de Deus prevaleça, a oração faz parte indissociável da sua vontade.
A oração é em outras palavras uma  forma de adoração que curiosamente na língua portuguesa está “embutida” na palavra adoração, vamos hoje buscar entender no contexto da oração como conciliar a soberania de Deus e a perseverança na deprecação, os decretos de Deus e a responsabilidade humana.

Se nos submetemos a Deus e reconhecemos a Sua Soberania, certamente praticaremos a oração sem dúvida alguma Pois ela tem como princípio:

1. TRAZER HONRA A DEUS

“…Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome; venha o teu reino; seja feita a tua vontade, assim na terra, como no céu.” (Lucas 11:2)

2. CUMPRIR A VONTADE DIVINA

“…seja feita a tua vontade, assim na terra, como no céu.” (Lucas 11:2)

“Antes crescei na graça e conhecimento de nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo. A ele seja dada a glória, assim agora, como no dia da eternidade. Amém.” (2 Pedro 3:18)

“Humilhai-vos perante o Senhor, e ele vos exaltará.” (Tiago 4:10)

“Semelhantemente vós jovens, sede sujeitos aos anciãos; e sede todos sujeitos uns aos outros, e revesti-vos de humildade, porque Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes. Humilhai-vos, pois, debaixo da potente mão de Deus, para que a seu tempo vos exalte; Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós.” (1 Pedro 5:5-7 )

3. ABENÇOAR AO QUE ORA

“Dá-nos cada dia o nosso pão cotidiano;” (Lucas 11:3)

– A oração não tem o propósito de dar informações a Deus, mas expressar nosso reconhecimento de que Ele sabe o que precisamos:

Mateus 6:8 – “Não vos assemelheis, pois, a eles; porque vosso Pai sabe o que vos é necessário, antes de vós lho pedirdes.”

Cristo sabia que seria exaltado pelo Pai, mas mesmo assim orou:

“E agora glorifica-me tu, ó Pai, junto de ti mesmo, com aquela glória que tinha contigo antes que o mundo existisse.” (João 17:5)

– A vontade de Deus é imutável, mas ainda assim o SENHOR nos diz:

“A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos.” (Tiago 5:16)

CONCLUSÃO

Muitos tem colocado Deus na posição de servo no momento de suas orações, mas isto é uma lástima, porque mesmo na oração Deus ainda é soberano em tudo  e nunca devemos esquecer de que orar em nome de Jesus é orar como se fosse o próprio Cristo fazendo-o.

 

Pr. Hugo Cunha